História

A Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude foi criada em 1874 com dois objetivos: abrigar, proteger e dar formação profissional ao menor carente, e manter a família do fundador unida em torno de uma obra social.


Seu primeiro nome foi "Sociedade Protectora da Infância Desvalida", numa época em que a assistência social se restringia ao alívio dos males, a educação começava a se estabelecer e a atuação do poder público era pouco expressiva.


Francisco Antônio de Souza Queiroz era abolicionista, um homem bem à frente de seu tempo. Com o legado de d. Ana Rosa de Araújo Galvão e de seus 11 filhos, genros e alguns amigos, fundou esta obra social e já previu, para sua manutenção e crescimento, recursos advindos dos aluguéis de imóveis bem situados na cidade de São Paulo.


As atividades se iniciaram em sua chácara, em 8 de abril de 1875, abrigando os primeiros 62 alunos.


Até hoje a Associação, administrada pela quinta geração dos descendentes do fundador, é a mantenedora do Instituto Ana Rosa, que oferece atendimento totalmente gratuito, desde creche até oficinas de iniciação profissional.


O tempo deu razão ao seu fundador: nestes 143 anos, sempre fiel ao ideal da Sociedade Protectora da Infância Desvalida, a família permaneceu unida em torno de um ideal de promoção social, trabalho e solidariedade, de portas abertas para a comunidade, sempre se atualizando e repassando a sua experiência às novas gerações.